Avatar de: Dino Franco e Mouraí

Dino Franco e Mouraí





Playlists
    1. Caboclo Na Cidade
    2. A cachaça e o fumo
    3. Bodas de Ouro
    4. Baldrana Macia
    5. Cheiro de Relva
    6. Caboclo Centenário
    7. Manto Estrelado
    8. Pedaço de Poema
    9. Casa Assombrada
    10. Devolva A Passagem
    11. A Volta do Caboclo
    12. Lavoura de Maconha
    13. A Sementinha
    14. As Três Namoradas
    15. Sopro de Brisa
    16. Casa Pobre
    17. Minha Mensagem
    18. Viagem ao Meu Passado
    19. Amargurado
    20. Retrato de Minha Infância
    21. Nossa Raíz
    22. Vida De Um Boiadeiro
    23. Erro Médico
    24. A Morte da Bugrinha
    25. Lamentos de Um Peão
    26. Cavalo Preto
    27. Meus Tempos de Criança
    28. Paraná do Norte
    29. Sertaneja
    30. Lição de Moral
    31. A Inflação e o Salário
    32. Um Pouco da Minha vida
    33. O Caipira
    34. Taquaritinga
    35. Juras Mentirosas
    36. Amor e Saudade
    37. Sertanejo Sem Mistura
    38. Pescaria no Mogi Guaçú
    39. Familia do Interior
    40. Violeiro Solteiro
    41. Pé De Cedro
    42. Por Uma Mulher
    43. Canto da madrugada
    44. Granfino na Roça
    45. Mestre Dos Mestres
    46. Caboclo Nato
    47. Tempo de Carreiro
    48. Linha Reta
    49. Evolução
    50. Cuiabana
    51. Cicatrizes da Alma
    52. Triste Desengano
    53. Candidato Caipira
    54. Nelori Valente
    55. Bandeirante Fernão
    56. Viola e Luar
    57. Garça Branca Feiticeira
    58. Dois Amantes
    59. Rainha do Meu Rancho
    60. Serra Molhada
    61. Somente Agora Vejo
    62. Retrato Falado
    63. Noite Negra
    64. Amor Traiçoeiro
    65. Maior Calote
    66. Do Que O Boiadeiro Gosta
    67. Meu Cantinho Favorito
    68. Tristeza da Saudade
    69. Porto Esperança
    70. Travessia do Araguaia
    71. Arroz à Carreteiro
    72. Cavalo Baio
    73. A Hipoteca
    74. A Moda da Marrequinha
    75. Festa de São Gonçalo
    76. Epifonema
    77. João catira
    78. Nuvem Branca
    79. Distância
    80. Morena Boa
    81. Fonte da Vida
    82. Pioneiro do Sertão
    83. Flores do Adeus
    84. Direitos Iguais
    85. Sonho Real
    86. Falando As Estrelas
    87. Briquedo de Criança
    88. Caboclo de Sorte
    89. Adeus Campina da Serra
    90. Retrato do Boi Soberano
    91. Nelore Valente
    92. Abandono
    93. Porto Triste
    94. Moço Ladino
    95. Amor Inpossível
    96. Garça Branca da Serra
    97. Prisioneiro do Amor
    98. Minha Noiva Amada
    99. Último a Saber
    100. Infiel Namorada
    101. Reencontro
    102. Cutucano Atrás
    103. Por Um Rosto Lindo
    104. Cicatriz da Alma
    105. Cara ou Coroa
    106. Estória Esquisita
    107. Oceano da Vida
    108. Escondendo o Sentimento
    109. CONFISSÃO
    110. Erro de Soma
    111. Velho Marujo
    112. Ingrata
    113. Namoro Proibido
    114. Violeiro das Alterosas
    115. Carga pesada
    116. Minha Culpa
    117. Mestiça da Fronteira
    118. Avança Matungo, Avança
    119. Berrante Pantaneiro
    120. Arrependimento
    121. Cavalgada
    122. BRASIL VIOLA
    123. Brasil Colônia

    A Sementinha

    Dino Franco e Mouraí

    Composição: Itapuã / Dino Franco

    Lá na casa da fazenda onde eu vivia
    Numa manhã de garoa e de céu nublado
    Achei no chão do terreiro uma sementinha
    Pensei logo em plantá-la no chão molhado

    O tempo passou depressa e a mocidade
    Chegou como chega a noite ao cair da tarde
    Veio morar na fazenda uma caboclinha
    Graciosa, bela, meiga e na flor da idade

    Iniciou-se um romance entre eu e ela
    Na sombra aconchegante de uma paineira
    Dei a ela uma rosa com muita esperança
    Que eu colhi de um galhinho daquela roseira

    Marcamos o casamento pra o fim do ano
    Pra mim só existia ela e pra ela só eu
    Pouco mais de uma semana pra o nosso idílio
    A minha flor prometida doente morreu

    Arranquei o pé de rosas na primavera
    E plantei na sepultura de minha amada
    Todas as tardes eu molhava com o meu pranto
    A roseira foi murchando e acabou em nada

    A chuva se foi embora e o sol ardente
    Matou a minha roseira e secou meu pranto
    Só não matou a saudade da caboclinha
    Pois eu vejo sua imagem por todo o canto

    Por isso é que vivo longe da minha terra
    Seguindo a longa estrada de minha vida
    Procuro viver sorrindo mas no entanto
    Eu choro ao me recordar a mulher querida

    O destino como sempre é caprichoso
    É cheio de traições e de sonhos loucos
    Tal qual aquela roseira e a minha amada
    Eu pressinto que também vou morrendo aos poucos

    1. Faça seu login e cadastre-se
    Aviso legal · Entre em contato - Studio Sol © 2014 Ouvirmusica.com.br
    -