Avatar de: Facção Central

Facção Central

http://faccaocentral.rapnacional.com.br/

Playlists
    1. Castelo Triste
    2. Eu Não Pedi Pra Nascer
    3. Estrada Da Dor 666
    4. Desculpa, Mãe
    5. 12 De Outubro
    6. País do Futebol
    7. Hoje Deus Anda De Blindado
    8. Um Grito de Socorro
    9. Colecionador de Lágrimas
    10. Versos Sangrentos
    11. O Menino do Morro
    12. Roleta Macabra
    13. A Bactéria FC
    14. O Rei da Montanha
    15. A Marcha Fúnebre Prossegue
    16. Anjo Da Guarda Vs Lúcifer
    17. O Espetáculo Do Circo Dos Horrores
    18. Isso Aqui É Uma Guerra
    19. Brincando De Marionete
    20. Aonde O Filho Chora E A Mãe Não Vê
    21. Espada no Dragão
    22. Apologia Ao Crime
    23. Cartilha do Ódio
    24. O Circo Chegou
    25. Aparthaid No Dilúvio de Sangue
    26. O Homem Estragou Tudo
    27. Sei Que Os Porcos Querem Meu Caixão
    28. Favela Sinistra
    29. A Minha Voz Está No Ar
    30. Pacto com o Diabo
    31. Front de Madeirite
    32. Chico Xavier do Gueto
    33. Outro Caminho
    34. Proteção
    35. A Guerra Não Vai Acabar
    36. Pomba Branca
    37. Conversando com os mortos
    38. Abismo Das Almas Perdidas
    39. Discurso Ou Revólver
    40. CNN Periferica
    41. A Vida Ensina
    42. Livro de Auto Ajuda
    43. São Paulo - Awshvitiz Versão Brasileira
    44. Sem Luz No Fim do Túnel
    45. De Mãos Dadas Com O Inimigo
    46. Sem Limites
    47. Alcatraz
    48. Justiça Com As Próprias Mãos
    49. 765 Motivos Pra Morrer
    50. Sonhos Que Eu Nao Quero Ter
    51. Bala Perdida
    52. A Capela Dos 50.000 Espíritos
    53. Sonhei Com O Céu
    54. Assalto A Banco
    55. Vida Loka Tambem Ama
    56. Memórias do Apocalipse
    57. Pesadelo do Sistema
    58. A História de Um Traficante
    59. A Cidade É Nossa
    60. Um Gole de Veneno
    61. Detenção Sem Muros
    62. No fim não existem rosas
    63. Resgate
    64. Aperte O Gatilho Por Favor
    65. Dia dos Finados
    66. Eu queria mudar
    67. Vidas Em Branco
    68. Dias Melhores não Virão
    69. A Mil Anos Luz da Paz
    70. Mundo (part. Sérgio Saas)
    71. O Show Começa Agora
    72. Prepara As Algemas (part. Facção Central)
    73. Lágrimas de Sangue
    74. Homenagem Póstuma
    75. Tecla Pause
    76. O Passageiro da Agonia
    77. Cortando o Mal Pela Raiz
    78. Estamos de Luto
    79. Mulheres Negras
    80. A paz está morta
    81. Aqui São Teus Cães
    82. No Trilho Do Vale Da Sombra
    83. IML
    84. Carnificina
    85. Não Quero Ser o Próximo Defunto
    86. Eu To Fazendo o Que o Sistema Quer
    87. O Que o Sistema Quer
    88. O Poder Que Eu Não Quero
    89. Vozes Sem Voz
    90. Enterro De Um Santo
    91. Aqui Ela Não Pode Voar
    92. Vão Ter Que Algemar Meu Cadaver
    93. Mensagem ao Céu
    94. Tensão
    95. Reflexões Do Corredor Da Morte
    96. Feridas leves
    97. Um Mundo Melhor
    98. O Pesadelo Prossegue
    99. De Encontro Com A Morte
    100. Pilantras
    101. Nada É Mais Como Antigamente
    102. Estratégia
    103. A Paz é uma Pomba Branca
    104. Pavilhão Dos Esquecidos
    105. Espetáculo do Circo Dos Horrores
    106. O Que Os Olhos Veem
    107. Quando É Que Vão Olhar Pro Inferno
    108. Pra Vocês Faccionários
    109. Prisioneiro do Passado
    110. A Cor
    111. Dia Comum
    112. Nós Por Nós
    113. Quando Eu Sair Daqui
    114. Em Nome Da Honra
    115. Fone maldito
    116. Não Dê a Sua Cara a Tapa
    117. Um Lugar Em Decomposição
    118. Atrás das grades
    119. A Malandragem Toma Conta
    120. A Informação É a Luz
    121. Sangue, suor e lágrimas
    122. Observando o Rio de Sangue
    123. Interlúdio
    124. Introdução
    125. Roube Quem Tem
    126. Finalização
    127. No Fim Não Existe Rosas
    128. Artista Ou Não
    129. Somos Assim (Juventude de Atitude)
    130. O Pavilhão Dos Esquecidos
    131. Morte Sem Lembrança (part. A286)
    132. Vida Baixa
    133. Há Mil Anos Luz da Paz

    12 De Outubro

    Facção Central

    Composição: Eduardo

    Cadê o meu presente, o meu abraço?
    A bicicleta que eu sonhei não vem com o laço.
    Não tem bolo, nem alegria.
    É dia das crianças, mas não pra periferia.
    Queria fugir daqui, é impossível,
    Eu não queria ver lágrimas, é difícil.
    Meus exemplos de vitória estão todos na esquina,
    De Tempra, de Golf, vendendo cocaína.
    Bem melhores que minha mãe no pé da cruz
    Pedindo comida, um milagre pra Jesus
    Antes dos doze eu vou estar com o oitão,
    Matando alguém, sem compaixão.
    Vou ver o filho, a mulher, chorando no corpo.
    Vou dar risada, vou dar mais uns quatro no morto.
    Eu vou brincar de assassino descarregando um 38.
    Legal a cara explodindo, voando um olho.
    Hoje é dia das crianças, e daí?
    Quem vê sangue não tem motivo pra sorrir.
    Não existe presente na caixa com fita.
    Só moleque morrendo na mesa de cirurgia.

    (2X) Hoje é dia das crianças, e daí?
    Quem vê sangue não tem motivo pra sorrir.
    Não existe presente, alegria.
    Nem dia das crianças na periferia.

    Não dá pra ser criança comendo lixo,
    Enrolado num cobertor sujo e fedido.
    É ''dá esmola pelo amor de Deus'' um dia.
    No outro ''é assalto! Não reage vadia!''
    O que eu vou ser quando crescer?
    Quer dizer, se eu crescer, se eu não morrer.
    Um assaltante de banco, um assassino,
    Descarregando minha pt no seu filho.
    Eu vou fazer um rolê e buscar meu presente :
    Uma vítima, anel de ouro, corrente.
    Vou mostrar minha pureza,
    Eu vou matar um cuzão por uma carteira.
    Feliz dia das crianças, é 12 de outubro.
    Põe um brinquedo, em cima do meu túmulo.
    Quem brinca com revólver não conhece a alegria.
    Não tem dia das crianças na periferia.

    (2X)Hoje é dia das crianças, e daí?
    Quem vê sangue não tem motivo pra sorrir.
    Não existe presente, alegria.
    Nem dia das crianças na periferia.

    Posto de saúde, Paz, Grajaú.
    Feliz 12 de outubro, zona sul.
    Desrespeitam um médico ausente.
    O filho do nordestino aqui não é gente.
    Depois querem formatura e alegria.
    Mas que se foda se eu tô com meningite, pneumonia.
    O Brasil não me respeita, quer me ver morrer,
    Quer um preso a mais,
    Por quê que eu fui nascer?
    Pra não ter um carrinho, um danone,
    Ou tráfico uma droga, ou morro de fome.
    Se eu não meter uma faca nas suas costas,
    A minha chance é 1oo% de acabar nessa bosta.
    Pra ter um brinquedo, só com latrocínio.
    Se não for jogador de futebol vou ser bandido.
    Queria ter um video-game, como eu queria.
    Mas não tem dia das crianças na periferia

    (4X)Hoje é dia das crianças, e daí?
    Quem vê sangue não tem motivo pra sorrir.
    Não existe presente, alegria.
    Nem dia das crianças na periferia.

    ''É mano,
    Queria um video-game.
    E de presente, eu ganhei um cano.
    Não tem dia das crianças na periferia.''

    1. Faça seu login e cadastre-se
    Aviso legal · Entre em contato - Studio Sol © 2014 Ouvirmusica.com.br
    -