Avatar de: Gabriel O Pensador

Gabriel O Pensador

http://www.gabrielopensador.com.br

Playlists
    1. O Cachimbo Da Paz
    2. Até Quando?
    3. 2345meia78
    4. Racismo É Burrice
    5. Linhas Tortas
    6. Estudo Errado
    7. Pra Onde Vai?
    8. Palavras Repetidas
    9. Astronauta
    10. Retrato De Um Playboy Parte 2
    11. Surfista Solitário (part. Jorge Ben Jor)
    12. Brazuca
    13. Pátria Que Me Pariu
    14. Muito Orgulho, Meu Pai
    15. Lavagem Cerebral
    16. Retrato De Um Playboy (juventude Perdida)
    17. Sem Parar
    18. Mentiras do Brasil
    19. Nádegas A Declarar
    20. Sem Saúde
    21. Tudo certo
    22. Nunca Serão
    23. Rap do Feio
    24. Masturbação Mental
    25. Se Liga Aí
    26. Dança Do Desempregado
    27. Tô Feliz (Matei O Presidente)
    28. FDP
    29. Tô Contigo e Não Abro
    30. O Resto Do Mundo
    31. Paz
    32. Rap do Mensalão
    33. No Ritmo, No Tempo
    34. Tem Alguem Aí?
    35. Sei Lá
    36. Sorria
    37. Festa Da Música Tupiniquim
    38. Pega Ladrão!
    39. Lôrabúrra
    40. Tás a ver?
    41. Filho da Pátria Iludido
    42. É Pra Rir Ou Pra Chorar?
    43. Pão de cada dia
    44. Dentro de Você
    45. Tô Vazando
    46. Mandei Avisar
    47. Boca Com Boca
    48. Deixa quieto
    49. Fala Sério
    50. Retrato de Um Playboy (part 2)
    51. Sem Crise
    52. Matei o Presidente (acústico MTV)
    53. Deixa Rolar
    54. Isso Aqui é Família
    55. Tudo Na Mente
    56. 175 Nada Especial
    57. Eu e a Tábua
    58. Cantão
    59. Sim, Não, Indiferente
    60. + 1 Dose
    61. Paradoxo
    62. Bala Perdida
    63. Cachorrada
    64. Racismo É Burrice (nova Versão De Lavagem Cerebral)
    65. Sou Carioca, sou do Rio de Janeiro
    66. Homem Não Presta
    67. Tempestade
    68. Cachimbo da Paz
    69. Papo Reto
    70. Fdp³
    71. Como Um Vício
    72. Cavaleiro Andante
    73. Hoje Eu Tô Feliz (matei O Presidente)
    74. ...e Você
    75. Foi Não Foi
    76. Retrato de Um Pit Bicha (Cuecão de Couro)
    77. Faça o Diabo Feliz
    78. Indecência Militar
    79. Festa Da Música
    80. 175 Nada De Especial
    81. Pega Ladrão
    82. Rap das torcidas
    83. Cara Feia
    84. Rabo De Saia
    85. Gente Estúpida
    86. Mário
    87. Brasil 500 Anos
    88. Ãh
    89. Brasa
    90. Abalando
    91. Todo Mundo É Igual (Mas Eu Não!)
    92. Só Tem Jogador (part. Bloco Bleque)
    93. Brilho Cego
    94. Sem Neurose
    95. Gualín
    96. Tudo Certo!
    97. Não Dá Pra Ser Feliz (Guerreiro Menino)
    98. Esperanduquê
    99. Rap do soletrando
    100. Dançando Com A Vida
    101. 500 Anos de Sobrevivência
    102. Supertrabalhador
    103. Na Casa da Vovó Bisa
    104. Mi Casa Su Casa
    105. Xaxado Chiado
    106. Pimenta e Sal
    107. Amigo Urso-Resposta do Amigo Urso
    108. Boca Sem Dente (com Fundo de Quintal)
    109. Matador
    110. Não Dá Pra Ser Feliz
    111. Just The Two Of Us (com Will Smith)
    112. Correr Pro Abraço
    113. En La Casa
    114. Ai Que Saudade Da Amélia
    115. Um Poema Para Sandra e Pedro
    116. Um Minuto
    117. A Mulher Que Virou Homem
    118. Martelo
    119. Astronauta - Part Esp Lulu Santos
    120. 12 Meses Por Ano
    121. Porca Miséria
    122. Lôrabúrra (Nádegas a Declarar 2)
    123. Meia idade
    124. Lata Velha
    125. Lôrabúrra (Acústico MTV)
    126. Excelência
    127. 12 Pessoas
    128. Bossa 9
    129. Soltem Os Prisioneiros
    130. Chama os putas
    131. Não Foi Você
    132. Jogador
    133. Na Palma da Mão
    134. Rockixe
    135. Pé d'agua
    136. A História de Pedro Vs. Cliente
    137. E Você?
    138. Brazuca (Remix)
    139. Ai Que Saudade Da Amélia (introdução)
    140. Mucama
    141. Medley Back To Back
    142. Início Da Música Hoje Tô Feliz (Matei O Presidente)
    143. Society's Victim
    144. Cara Feia (Part EspTitãs)
    145. Deixe De Hora
    146. Boralá (Criolo Brasileiro) (part Sandra de Sá)
    147. 12 Vezes Por Ano

    Linhas Tortas

    Gabriel O Pensador

    Composição: Gabriel o Pensador e André Gomes

    Alguns às vezes me tiram o sono
    Mas não me tiram o sonho
    Por isso eu amo e declamo, por isso eu canto e componho
    Não sou o dono do mundo, mas sou um filho do dono
    Do verdadeiro Patrão, do verdadeiro Patrono

    - E aí, Gabriel, desistiu do cachê?
    - Cancelei um trabalho aí pra não me aborrecer
    - Explica melhor, o que foi que você fez?
    - Tá, tudo bem, eu explico pra vocês

    Tudo começou na aula de português
    Eu tinha uns cinco anos, ou talvez uns seis
    Comecei a escrever, aprendi a ortografia
    Depois as redações, para a nossa alegria
    Professora dava tema-livre, eu demorava
    Pra escolher um tema, mas depois eu viajava
    E nessas viagens os personagens surgiam
    Pensavam, sentiam, choravam, sorriam
    Aí a minha tia-avó, veja só você
    Me deu de aniversário uma máquina de escrever
    Eu me senti um baita jornalista, tchê
    Que nem a minha mãe, que trabalhava na TV
    Depois, já aos quinze, mas com muita timidez
    Fiquei muito sem graça com o que a professora fez
    Ela pegou meu texto e leu pra turma inteira ouvir
    Até fiquei feliz, mas com vontade de fugir
    Então eu descobri que já nasci com esse problema
    Eu gosto de escrever, eu gosto de escrever, crer, ver
    Ver, crer, eu gosto de escrever e escrevo até até poema

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    - Ih, pensador, isso é grave, hein!

    É, vovó dizia que eu já escrevia bem
    Tentei me controlar, me ocupar com um esporte
    Surf, futebol, mas não era o meu forte
    Um dia eu fiz uns raps e achei que tava bom
    Me batizei de Pensador e quis fazer um som
    Ficar famoso e rico nunca foi minha meta
    Minha mãe já era isso, eu só queria ser poeta
    Meu pai, um homem sério, um gaúcho de POA
    Formado em medicina, não podia acreditar
    Ao ver o seu garoto Gabriel
    Com um fone nos ouvidos, viajando com a caneta no papel
    - O que cê tá fazendo? Vai dormir, moleque!
    - Ah, pai, peraí, eu só tô fazendo um rap!
    Ninguém sabia bem o que era, mas eu tava viciado naquilo
    E viciei uma galera!

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Não tô vendendo crack, não tô vendendo pó
    Não tô vendendo fumo, não tô vendendo cola
    Mas muitos me disseram que o que eu faço é viciante
    E vicia os estudantes quando eu entro nas escolas
    Até os professores às vezes se contaminam
    Copiam minhas letras e textos e disseminam
    Sementes do que eu faço, já não sei se é bom ou mau
    Mas sei que muito aluno começa a fazer igual
    Escrevendo poemas, escrevendo redações
    Fazendo até uns raps e umas apresentações
    Me lembro dos meus filhos e a saudade é cruel
    Solidão me acompanha de hotel em hotel
    Casamento acabou, eu perdi na estrada
    O amor que ainda tenho é o amor da palavra
    É falar e cantar, despertar consciências
    Dediquei a vida a isso e a maior recompensa
    É servir de referência pra quem pensa parecido
    Pra quem tenta se expressar e nunca é ouvido
    É olhar pra minha frente e enxergar um mar de gente
    E mergulhar no fundo dos seus corações e mentes
    É esse o meu mergulho, não é o do Tio Patinhas
    É esse o meu orgulho, escrever as minhas linhas
    Escrevo em linhas tortas, inspirado por alguém
    Que me deu uma missão que eu tento cumprir bem
    Escuto os corações, como um cardiologista
    Traduzo o que eles dizem como faz qualquer artista
    Que ganha o seu cachê, que é fruto do trabalho
    De cigarra e de formiga, e eu não sei o quanto eu valho
    Mas sei que quando eu ganho, divido e multiplico
    E quanto mais eu vou dividindo, mais fico rico
    Rico da riqueza verdadeira que é de graça
    Como um só sorriso que ilumina toda a praça
    Sorriso emocionado de um senhor experiente
    Em pé há duas horas debaixo do sol quente
    Ouvindo os meus poemas em total sintonia
    Eu sou ele amanhã, e hoje é só poesia.

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
    Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
    Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
    Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

    1. Faça seu login e cadastre-se
    Aviso legal · Entre em contato - Studio Sol © 2014 Ouvirmusica.com.br
    -