Samba-Enredo 2020 - O Conto do Vigário

Acadêmicos de Vigário Geral

Se um dia eu menti, perdão
A Justiça será verdade?
Vem pra rua cantar, Brasil
Mostra a farsa pra quem não viu
Se um dia eu menti, perdão
A Justiça será verdade?
Vem pra rua cantar, Brasil
Mostra a farsa pra quem não viu

Sou eu, a lenda que atravessou o mar
O brilho do Cruzeiro a me guiar
Ao deslumbrante paraíso
Sou eu, o reluzente Eldorado
De fauna e flora, cobiçado
Do Ardil hilário o sorriso
Nas Minas não vi o ouro
O meu tesouro, cadê? Sumiu?
Em cada conto, aumento um ponto
Sou um lugar de histórias mil

Tupiniquins, Tupinambás e Potiguaras
Tamoios, Caetés e Tabajaras
É Banto, é Congo, é de Angola
Somos da tribo quilombola
Tupiniquins, Tupinambás e Potiguaras
Tamoios, Caetés e Tabajaras
É Banto, é Congo, é de Angola
Somos da tribo quilombola

Que segue aguerrida
Mas sempre esquecida
Por quem tem poder
Montando em cabrestos
Matando direitos de quem quer viver
O homem de terno pregando mentira
Desperta a ira em nome da fé

Pois é, na crise nossa gente acende vela
Pra santo que nem olha pra favela
E brinca com direito social
Ó mãe, o morro é o retrato do passado
Legado de um mito mal contado
Vigário, teu protesto é Carnaval
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados