Tropa do Corinthians

Corinthians

Aí, Pode ser que não exista amor em SP
Mas só do meu sangue ser preto e branco
Já é sinônimo de paixão, certo
E só pra deixar claro, quando o Corinthians vence
Mais um favelado que vence junto

Poderoso Timão, chave esse brasão
Não cabe no som sua imensidão
De Diadema ao Capão, Tóquio no Japão
Estampa o bandeirão, virou mó caldeirão
Então pega lá, goleirão, foguetão
Cês é freguês, jão, sobe o –
Sabor do campeão, os gavião
Aqui só tem vilão, time de negrão

Por todas as quebrada estampa o brasão preto e branco
Cada corre na rua eu me sinto dentro de campo
Atacante do asfalto sem ter tempo pra ser banco
E pelo meu time eu luto, sofre, choro e canto
Por todas as quebrada estampa o brasão preto e branco
Cada corre na rua eu me sinto dentro de campo
Atacante do asfalto sem ter tempo pra ser banco
Pelo meu time eu luto, sofre, choro e canto

Zusflee, em 1910 (Che-Che), um clube mudaria o cenário (hmm, hmm)
Democracia e o direito de voto do campo pro Senado (no way)
Rico ou pobre em uma só voz, de preto e branco e o punho cerrado
E a tropa só cresce da Noroeste (diz) até a 24 de Maio
Em São Paulo onde a selva engole, os loc que se esconde
Chamam a gente de louco, compramos ingresso e passamos fome (Che-Che)
Tipo religião, uma só paixão e daqui você encontra de monte
E o mais engraçado ainda é que eu nem falei seu nome

Yeah, yeah, na malandragem tipo sheik, passamo, carro, sai da frente
Tô preso pra uma só paixão, eu e mais de trinta milhão
O que é ser Corinthians, cês entende, enraizado em minha mente
76 teve invasão, é o time do povo, é o Coringão

Muito mais que a nação pode ouvir o coração quando bate o Timão, ahn
Mais de trinta milhão, é um bando de louco sempre na função, ahn
Tá no sangue, na vida, na garra e na luta pra vencer a corrida
Na semana olha o tempo passar que eu não aguento esperar pra gritar: Vai, Corinthians

Ó, que ironia, tô fazendo um som pro time que eu sonhava em ser jogador
Em preto e branco pra te mostrar que nós é pelo amor, não importa a cor
Deixa moscando, nós passa o carro, só tem maloqueiro, desculpa, doutor
É o Pavilhão que manda lá na Norte, dá licença, faz favor
Nós é louco memo, louco pro Corinthians ainda é pouco
Já nasci sofrendo, entramo em campo, acende o fogo, ó
Bate na palma da mão, grita que a favela tá sempre vencendo
É Timão, sou gavião, meu parça, tá com medo? Sai correndo (okay, okay, pow)

Tá trajado de –
Nós comemora com rajada e não com fogo, pow, pow
Entra na mente esse pique, tem o som
Carburo essa faixa – com um bando de louco
Timão, ei, woah, Timão, ei, oh
É salve, salve pra esses bando de louco, um salve, salve pra esses bando de louco
Timão, ei, woah, Timão, ei, oh
É salve, salve pra esses bando de louco, um salve, salve pra esses bando de louco

Das as quebrada estampa o brasão preto e branco
Cada corre na rua eu me sinto dentro de campo
Atacante do asfalto sem ter tempo pra ser banco
E pelo meu time eu luto, sofre, choro e canto
Por todas as quebrada estampa o brasão preto e branco
Cada corre na rua eu me sinto dentro de campo
Atacante do asfalto sem ter tempo pra ser banco
Pelo meu time eu luto, sofre, choro e canto
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados