Mo Boy

Dillaz

São poetas de cantigas, todos escrevem, todos ditam
Mete o rap nas urtigas, conta quantos é que ficam
Comem o que cagam, como ratos multiplicam
Professores de banda larga, muito parlam, pouco explicam

Não minto, eu sou sortudo, eu tenho um bicho na traqueia
Mo boy, eu fiz de tudo, eu tive crise mas matei-a
Já mentalizado que o meu rap dá cadeia
Sossegado e abelhudo, eu fabrico na colmeia

Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Andam a colher a papa, tão a esquecer quem semeia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Falam mais do que o que comem, querem tudo, coisa feia

Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Não vês discriminação, eu tenho um gato na alcateia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Isto é madorna 75 brother

Punho e derrapagem é rodagem para o meu Cliper
Tou a incendiá-lá e tou a girá-lá pro Peter
Bombas entaladas e encalhadas no teu esfíncter
Cada bafo, um granada, os meus neurónios chamam-me Hitler

Mangas entalados e agarrados pela aranha
Sem problemas com inveja eu digo fuck pra quem tenha
Mo boy, mo boy, querem que eu faça a marmita
Pra ficar fechado à espera da visita

Tão a por olhos na mira pra ver quem é que tá
Agora, pisa a linha, levas bala e não é pouca
Vão contando umas mentiras pra ver no que é que dá
E eu bem na palhota com a minha palha na boca, motherfucker

Já te tinham avisado, eu sou passagem sem cedência
O teu pai olha de lado, eu tenho o bairro na aparência
OK, um, dois, um, dois, eu vou falar pra concorrência
Vês alguém com um flow parecido, não é byte, é influência

Ai, meu Deus do Céu! Que o Dillaz um dia tá preso
Toda a flor que oferece à querida acaba por lhe dar cabeços
Rap sem comparação ao rap pra comprar a prima
Sempre a torcer o cartão, fumo memo à moda antiga

Mais magrinho, há quem diga pra quem me conhece eu tou
Mais nem menos concentrado desde que o cachet duplicou
Rias daquilo que eu era choras por aquilo que eu sou
Olhas pro puto Chapelas, pensas em Champalimaud

Chupa, queres falar?
Chupa sem tempo pa perder com esse filhas da... Escuta!
Postura, eu tou a ver-te a desfilá-lá, mas és falso na etiqueta
Diz à tua chavala pa fazer o buço à buceta

(Auu) Tu queres é resposta
Mas vale uma aposta que já tou
A vê-las passar com a peida nas costas
Tu tás com grana no VISA

Tu vens a dar pra janota mas sempre que alguém te pisa
Só sai com merda na bota
Tou-te a ver à cambalhota, mas eu não (eu não)
Eu tou-te a ver com risotas, boy, eu não

As cotas que me odiavam porque eu era o pimentinha
Ainda ontem perguntaram pelo filho da Zézinha
A vida muda deixa mudar (ahan, ahan), eu tou a vê-las daqui
Motherfuckers, só perguntam, quem perguntar
(Aham, aham) Dillaz fucking MC
Bro 75, 75, 75 (ahh) 75, 75 (yeee) 75, 75 (uuuee) 75, 75

Mo boy, mo boy, mo boy
Mo boy, mo boy, mo boy
Mo boy, mo boy, mo boy
Mo boy, mo boy, mo boy

Falam mais do que o que comem, querem tudo coisa feia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Andam a colher a papa, tão a esquecer quem semeia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)

Falam mais do que o que comem, querem tudo, coisa feia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Não vês discriminação, eu tenho um gato na alcateia
Mo boy, mo boy, mo boy (ahh)
Isto é madorna 75 brother
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados