Tango a Portugal

Herman José

Só nós sabemos deste céu à beira-mar
Do sangue a fervilhar nas veias
Desta península de gente a navegar
Que temos que habitar a meias

Do nosso povo já cansado de sofrer
E de anos a dizer: "Não posso!"
Deste país de tanta coisa por fazer
Que por ninguém querer é nosso

Ai Portugal,
Linda terra de buracos sem igual
De "aviones" sobre as lages
De "camones" e Bocages
E bocados de nação...

Na' são verdade
Essas coisas ditas na televisão
Arde o sol até que fura
Mas também o que arde cura
Diz o povo e com razão

Português navegador
Desde Infante a sonhador
A divagar se vai ao longe
Em qualquer casca de nóz
Há um estrangeiro, há um estrangeiro
A Badajoz..

Só nós sabemos deste céu à beira-mar
Do sangue a fervilhar nas veias
Nesta península de gente a navegar
Que temos que habitar a meias

O nosso povo já cansado de sofrer
E de anos a dizer: "Não posso!"
Deste país de tanta coisa por fazer
Que por ninguém querer é nosso

Oh meu país
Uma esperança verde-rubra embandeirada
Nossos sonhos turbulentos
Seguem dentro de monumentos
Rumo à Europa almejada

Ai Portugal
Concebido como pecado original
Isto não começou bem
Um filho a bater na mãe
Tinha que acabar em mal

E pensar que os nossos filhos
Já nem jogam matraquilhos
Que futuro te reserva
Portugal do pequeninos
Vender sal, vender o sol
Aos quadradinhos

Só nós sabemos deste céu à beira-mar
Do sangue a fervilhar nas veias
Nesta península de gente a navegar
Que temos que habitar a meias

O nosso povo já cansado de sofrer
E de anos a dizer: "Não posso!"
Deste país de tanta coisa por fazer
Que por ninguém querer é nosso

Deste país de tanta coisa por fazer
Que por ninguém querer é nosso!
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados