Luzeiro

Joaquim Izidro

O imaginário do luzeiro atracou no porto
E as fitas presas com barbantes nas barbas do tempo
A tarde solta, solta pipa nos dedos do vento

E a dança não cansa
De soltar a voz
De guardar em nós o amanhã

O imaginário do luzeiro atracou no porto
E as fitas presas com barbantes nas barbas do tempo
A tarde solta, solta pipa nos dedos do vento

E a dança não cansa
Pinta o céu de azul
E o universo nu veste luz
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados