Lua Negra

Nego E

No início: trevas, hoje: Trayvons, Cláudias, Amarildos
Ainda vivos, contra os mil do
Reich moderno, The Great Black Panther Heist
Não hiberno, sem descanso no inverno encontro o zeitgeist

Qual paz te acalma? Vaias, palmas ou traumas
Salvos pelos salmos, sangue, suor e saliva
Voz ativa, dá mais uma, capta o mal da
Captura do capital, dentro da sua Captiva

Cadê a lei do ventre livre quando uma preta é estuprada?
A noite vi minha mãe com insônia
Por não saber se eu ia cair numa cena forjada (açoite)
O perfume das ruas cheira Brasil Colônia

Ferguson é Pinheirinho, amônia e Pinho Sol não tira o podre
Que sai do lençol e da cabeça no travesseiro
É Baltimore, batem mais e descartam o coldre
Qual é o preço da passagem pro navio negreiro?

O oceano virou asfalto
Por que tinha um corpo no chão se disseram "mãos ao alto"?
Morteiros, ligeiro, essa cena eles cortam
Com punho erguido, grito Vidas Negras Importam

Você me odeia né?
Como eu me visto, como eu falo, como ando, como ajo
E reafirmo meu crespo sim
Você me odeia né?
E mais o fato que entre todos os exemplos que cê deu
seu filho ainda quer ser igual a mim

Minha irmã abre a revista e não se enxerga
Hora de tomar os palcos, chega de ser só contra regra
Mortos hoje foram vinte mesmo, sem vitimismo, cê nega
Nos olhos de quem vê sua justiça é cega

A minha chance é remota, nos oferecem derrota
Ainda mais se caio no raio do caminho da Rota
Um poço de estereótipos, trata como objeto, nota
O pau grande, a mal comida, a revoltada, o da cota

A mulata, a nem tão preta, o atleta, o primata
Primeiros que a Pm só pergunta depois que mata
Pra sua blackface trago cimento e não tinta
Afrofuturistas como se apanhamos como 1830?

Sai de casa sem saber se volto, eu pareço suspeito?
Por que você tá me seguindo, eu pareço suspeito?
Eu não consigo respirar, ainda pareço suspeito?
Para de atirar, eu parecia suspeito?
Para de atirar, eu parecia suspeito?
Para de atirar, eu parecia suspeito?
Para de atirar, eu parecia suspeito?

Somos netos e netas daquelas
que vocês não conseguiram matar
Nos arrancaram de nossas terras
tiraram nossos sobrenomes
Nos colocaram em guerra, nos fizeram passar fome
Reduziram educação e o alimentar
Foi trocado por regime militar

Vidas Negras Importam, Vidas

Cidade é selva e nós somos alvos
De senhores calvos de pele alva
Crescendo sem saber se seremos avós e avôs
Morre mais um Silva e ninguém salva

Puseram armas na trilha e nós querem de cobaia
Fugi das armadilhas, preparei a tocaia
Apaguem tochas e velas, quebrem correntes da celas
E se casa grande das telas queimasse igual as favelas?

Orgulho das cicatrizes, pretos e pretas felizes
Cai 1, nasce mais 30, livres, sementes e raízes
Somos reis, rainhas, donos de tronos do início ao fim
Vim cobrar e saber porque o senhor atirou em mim

Qual a ameaça? Do que eu sou culpado?
Sou suspeito de que? O que eu to fazendo errado?
Vingança é banquete, ouro, pratas e bronze
Se tenho motivos pra tudo isso? No mínimo 111
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados