Ranchinho Abandonado

Paulo Tapajós

Faz pena vê minha paioça la na roça
Junto à um tronco de ipê
Fica meus olhos só de magoa, cheio d'água
Cum sodade di vancê

A noite eu passo tão sozinho no ranchinho
E adormeço a meditar
E de manhã quando desperto tão deserto
Vejo o rancho à soluçar

Minha viola abandonada, pendurada
Veve triste a recordar
Que vancê pela tardinha sempre vinha
Me pedir para cantar

A tarde morta da choupana, soberana
Nos galhos do sapoti
Vendo que o dia se acabava, soluçava
Um choroso bem-te-vi

Hoje a choupana veve aberta, tão deserta
E a viola emudeceu
Nada mais no ranchinho existe, tudo é triste
Tudo é triste como eu

Eu juro que no meu ranchinho, pobrezinho
Ninguém entra nunca mais
Se um amor fugiu do trato, foi ingrato
Todos eles são iguais
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados