O Regresso do Caboclo (Resposta de Cabocla Tereza)

Preferido e Predileto

Um certo dia eu andava
Em busca de inspiração
E no banco de uma praça
Me sentei com a viola na mão

Nas folhas de um caderno
Algumas frases escrevi
Os versos não davam rimas
De repente eu percebi

Que passava em minha frente
Cabisbaixo um velhinho
Que disfarçava a tristeza
Mas conversava sozinho

Eu então me aproximei
E com mansa perguntei
O por quê de sua tristeza, ele disse
Moço eu sou o caboclo
Que matou a linda cabocla Tereza

Seu moço, pegue a caneta
Escreva minha história
Eu vou contar em detalhes
Tá claro em minha memória

Eu já fui feliz, tive tudo
Um rancho, um sítio e um lar
A minha cabocla era bela
Eu sempre sonho com ela
E peço pra me perdoar

Um ano vivemos felizes
Juntinhos, quanta saudade
Jamais pensei que eu fosse
Capaz de tanta maldade

Por muito tempo fiquei
Distante do meu lugar
Ao meu sertão regressei
Mas moço, eu não pude ficar

Meu sítio está abandonado
O meu ranchinho é tapera
Subi de novo a montanha
Naquela casinha estranha
Em todo o lugar vejo ela

Saí vagando sem rumo
Sem ter razão pra viver
Em busca do nada eu chamo
Tereza, cadê você?

Seu moço, eu sei que errei
O ciúme me deixou cego
Tomado de ódio matei
Eu fui covarde e não nego

Trancado naquela prisão
Paguei caro o meu amor
E hoje eu não vivo, eu vegeto
Não tenho lar, nem um teto
Minha alma é um martírio de dor

Eu sei que estou livre das grades
Mas me sinto preso aqui
Pois quando a Tereza eu matei
Seu moço, eu também morri
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados