Moça

Quarteto Coração de Potro

Moça, eu já fui potro atado
No galpão do esquecimento
Hoje, ando de clina esfiapada
Pra onde sopra algum vento

Moça, eu te faço um pedido
Pra um mate aqui, eu te espero
Pra ver o sol do teu sorriso
Quando a cuia te entrego

Quero-quero cuida o campo
Carancho cuida no ar
Eu cuido lá da cancela
Esperando a moça chegar

Teu silêncio é campo aberto
Semeando meias verdades
Palavras são frutos verdes
Amadurando o das saudades

Do meu coração vaqueano
Cansado de idas e vindas
Fiz vaso de coisas boas
Pra dar-te as flores mais lindas

Teus olhos são meus estrivos
E o teu silêncio me acalma
Com minha alma, teus olhinhos
Com gana, amo tua alma

Na aba do meu chapéu
Muita chuva há de correr
Serão todas minhas penas
Caindo por não te ver

Das penas que eu guardei
Umas, são pedras nas mãos
Outras, são punhais afiados
São de cortar um coração

Teu corpo, doce menina
Branco feito o algodão
Igual a beleza das nuvens
Passeando pelo rincão

Cada abraço, um paraíso
Cada beijo acende uma estrela
Morro um pouco cada vez
Nas noites que não posso vê-la

Do meu coração vaqueano
Cansado de idas e vindas
Fiz vaso de coisas boas
Pra dar-te as flores mais lindas

Teus olhos são meus estrivos
E o teu silêncio me acalma
Com minha alma, teus olhos
Com gana, amo tua alma
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados