Asfalto

Trovadores do Vento

Asfalto

Jornais explodem em sangue
Vomitam noticias velhas
Os olhos indiferentes das vitrines
Ninguém ousa mais falar
Todos venderam seus sonhos
Para o dono do supermercado
Na minha cidade tem flores
Mas os olhos das pessoas
São duros como pedras,
As pessoas são duros como pedras

Nenhuma voz discordante dissonante
E eu de social no estrangeiro
Sem bilhete d entrada eu escuto
Das escadarias do teatro
Fragmentos de uma ópera, alucinada
Sem código sem discurso
Eu volto pra rua
Ouço a sinfonia d automóveis,
Na rua ouço a sinfonia d automóveis
E como ultimo grito, ultimo grito
Escrevo o meu poema no asfalto
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados