Tetê

Éverton dos Andes

Tetê só tinha treze anos quando perdeu a família
E veio morar na capital
Perdeu os pais por conta de um acidente
Um litro de aguardente que o pai bebeu

Foi acolhida pelo seu padrinho
Zé-de-Pinto-Linho, um conhecido de seu pai
E Pinto-Linho, como era conhecido
Se mudou com a menina para as Aurenis

E a garota nem sequer imaginava que destino lhe
Aguardava, e Pinto-Linho começou a lhe induzir
Ele dizia que ser moça é problema
No Leblon ou Ipanema nada disso tem valor

E a inocência da menina foi roubada
A virgindade sorteada num bingo a "la pornô"
Tetê não viu a cor da grana
Deitou-se na cama sem saber porquê

Foi deflorada sem nenhum carinho
E os dias se seguiram
Como há de ser...
Tetê, Tetê

Tetê já estava quase acostumada
Quando um belo dia a regra lhe faltou
E conversando com uma colega de serviço
Entendeu parte do ofício que o padrinho lhe ensinou

Tetê a partir desse momento
Entendeu seu sofrimento
Pois já tinha outra garota para ocupar o seu lugar
Agora estava na rua da amargura
Mas restava o padrinho que podia lhe ajudar

Tetê foi buscar o seu dinheiro
Que ganhara na penúria, garota de aluguel
Ficou surpresa ao retornar pra casa
Pinto-Linho, sem vergonha, tinha fugido pro Pará

Tetê ficou num mato sem cachorro
E foi rodar bolsinha em plena JK
E, pouco a pouco, a barriga cresceu
Seu filho nasceu sem ninguém notar
Agora vive na beira da estrada
Pedindo carona, quer ir pro Pará

Tetê...
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados