Ouvir Música

A dama e o Pintor

Flávio José

Eu trabalhei de pintor no sul
Recife, Caruaru e lá em Salvador
Com um senhor chamado José
E a mulher desse José por mim se apaixonou

Eu enrolado que só grampo de arame
Com vergonha da madame não podia me conter
Tu pode crer quando ela dava silibrina
No portão da oficina me chamava pra me ver

Hoje eu quero é você
Diz Zé como é teu nome
Hoje aqui o couro come
O couro come e ninguém vê

Mulher metida no ramo do automóvel
Comprou um Ford 29 e mandou eu pintar
Foi se deitar e não disse a cor adequada
Eu dei uma tinta errada e ela deu um parará

Mas ela hoje está comigo zangada
O pobre desse pintor não ficou com nada
A fubica dela está toda avermelhada
Somente porque eu dei uma tinta errada
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados