Ronquidão

Velho Milongueiro

Quando eu era moço novo, era guapo igual leão
Dava urro lá no mato que estremecia o sertão
Mas estou ficando velho, sem força no meu pulmão
Quero cantar e dar grito
Em vez de fazer bonito, só solto uma ronquidão

Au, au, au
Ão, ão, ão
Ai, ai, ai
Mas que baita ronquidão!

Fui até o Paraguai numa certa ocasião
Me deram água gelada na cuia do chimarrão
Numa bomba diferente das bombas do meu rincão
Tomei mate a noite inteira e voltei lá da fronteira

Au, au, au
Ão, ão, ão
Ai, ai, ai
Mas que baita ronquidão

Chegando lá em São Paulo fui cantar no Garitão
Puxei da minha cordeona e sapequei um vanerão
Tinha sede de carinho pela filha do Tião
A minha sede era tanta, me deram gelo com Fanta
E me bateu a ronquidão

Au, au, au
Ão, ão, ão
Ai, ai, ai
Mas que baita ronquidão!

Terminei a minha andança e ao voltar pro meu rincão
Já logo fui convidado pra ir na televisão
Num tal de Galpão Crioulo ou Crioulo de Galpão
Naquele baita programa, levantei a minha fama
Soltando uma ronquidão

Au, au, au
Ão, ão, ão
Ai, ai, ai
Mas que baita ronquidão!
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados