Cena Bandida

Consciência X Atual

É guerra o medo impera
Cena bandida,
Contos do crime bate na escrita...

24 Por 48 horas no ar, boca seca, olhos estatalados de mun-rá, meu comparsa o bang é frenético é loucura, agitado a milhão com a química na pura, na boa mais um tiro acelera a adrenalina, virado sem breque invernado a dois dia, coração a milhão só me salva eu vou parar...

- (Muita calma nessa hora que o efeito vai passar)
Boa tiozão hoje foi de arrepiar, um gole na long neck pra aliviar, respirar o bom ar he sem pegar a brisa, um dois no baseado já me tranquiliza, pra cima sem preguiça eu quero é progresso, levantar uma moeda rapidão no sequestro, relâmpago mano vamo e tamo nos adianto, as peça tá na sinta é dois palito nois catamo a vitima de roubo, sobrando com burg, casalsinho vim de moscando de canto no fim da fiusa...

- (Perdeu já era é tudo nosso não reage)
- Toca pros caixa eletrônico, da os visa e os master
- (Não vacila na senha se não já era, entorta o barato o projeto historia impera,)
Tio, tacada de 6 banco rendeu uma pá, uns dois mil pra cada um, teve bom xara haha, pode ligar as puta do rolê, pode chegar e gastar, pode escolher vai querer o que? Que cheirar, que beber, quer curtir, quer fuder, só imbicar na orgia e no prazer, dinheiro é bom e uma pá compra o tantera compra o interesseiro, compra o zoio, o comedia, vem fácil vai fácil amigão, amanhã é outro dia nois se vira na disposição

Palco de guerra o medo impera
Cena bandida, desenhando cada linha no livro da vida
É guerra o medo impera cena bandida,
Contos do crime bate na escrita

Porra quem será? Ressaca braba meu mano, mas é hora de acordar, quase meio dia eu de bote no sofá calorzão mo preguiça que da eai?

- (Ai reage amigão, que o sol tá ardendo, cola pro bang que tempo é dinheiro)
Salve ladão, faz um dois que eu já encosto eu vou pagar uma duxa e rapidão eu me troco.

- (Fecho, duas bike pô)
Vamo pra cima, que hoje é dia, hoje é só alegria, no corre da ação. Jão é tudo com nois memo, fala meu parceiro, ai o que tá tendo?

- (Oh quinto dia útil o menino já empicou, bora cantou desenho no caminho desenrola)
Demoro tamo junto de igual, pra catar, pra contar e pra gastar os real, veja saca agora e da voz de assalto

- (Sem pânico, geral pro chão, mãos ao alto)
Sem demora bacana, cadê o cofre com as plaquetas? Não me faça de otario, eu quero tudo nas maletas.
- (Ninguém reage ninguém se fere, sem vitimas)
Ninguém nos viu, vamo ali subiu as fita, fechado a tio, eu com os malote nã mão é fuga, pinote 16 ganhando a rua, perdido nos vestígios com a mala bem gorda, favorável cercamo a mão, estouro pegamo a boa, cara ou coroa ecoa só o obtidão, joga o jogo com apetite e precisão, cumpadre, adrenalina, coragem cautela, profissa na ação pra não berrar e nem dar guela...

- (Noticia)
Palco de guerra o medo impera
Cena bandida, desenhando cada linha no livro da vida
É guerra o medo impera cena bandida,
Contos do crime bate na escrita...
Palco de guerra o medo impera

- (O bang é loko, cheio de dinheiro no bolso e querendo mais ação, as vezes nem damo conto do risco e das consequências de nossas escolhas)
Colo uns cara que explode uns caixa, ligando pra nois se envolver na madrugada, agencia mo uva pra explodir na dinamite era só catar os real pra que a gangue evadise, era pra ser mamão mais ganha quem vê lá, os boina pra berrar moia no bote pra matar...
- (Põe a mão na cabeça)
- Cadeia não tio saca o fuzil (tiros)
Caralho é tiro é saraiva de bala, eu passando no lugar e na hora errada, vou ficar de cantoneira, testemunha ocular, na contenção, registrando o bang vendo o que vai dar, cena de filme arrebento é massacre, 5 forças no veneno recheado de boinas covardes, só de fura peneirando geral, um ódio mortal, vendo mal ação fatal e letal, rapidão encosta ambulância e perecia, chega iml e não para de chegar policia, reportagem, curiosos chegando as pressas, disputando lugares na fita amarela, vejo uma dois saindo algemados, respirando mais todos desfigurados, logo em seguida vejo 3 caixão de madeira, lacrado jogado no rabecão, ponto final pra uns fim da historia, mérito pros bota que festejam a vitoria, tanto colheu o crime mal que semeia, a consequência é cemitério ou cadeia, iai, vou sair fora e seguir meu destino, licença aqui meu parceiro, vou retornar meu caminho
- (Noticia)
Palco de guerra o medo impera
Cena bandida, desenhando cada linha no livro da vida
É guerra o medo impera cena bandida,
Contos do crime bate na escrita...

- (Noticia “historia da musica”)
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

O melhor de 3 artistas combinados