Ouvir Música

Cantador

Pedro Ortaça

Eu sou um poço de versos
Sou cachoeira, sou caçimba
Sou ramagem que não cimbra
Por mais repleta de ninhos
Sou canto de passarinho
No alumbramento da aurora
Eu sou a estrela da espora
Cantando pelos caminhos
Eu sou a estrela da espora
Cantando pelos caminhos.

Sou verso que sai à trote
Com franciscano desvelo
Rimo pelos cotovelos
Quando o vento faz o mote
Meu canto não perde o norte
Pois, de guitarra ou de relho
Eu vou cantando parelho
Fazendo pouco da morte
Eu vou cantando parelho
Fazendo pouco da morte.

Eu sou canário da terra
Que não cai em alçapão
Sou outro galo de guerra
Que faz cantar o esporão
Assim vou narrando a saga
De um povo sobrevivente
Riscando à ponta de adaga
O passado no presente
Riscando à ponta de adaga
O passado no presente.

Por isto ninguém me cala
A teimosia do canto
Em balcão onde me planto
Qualquer gaita me regala
E donde meu verso xucro
Tira ronda de à cavalo
A lua uiva nos cuscos
E o sol repica nos galos
A lua uiva nos cuscos
E o sol repica nos galos.
Editar playlist
Apagar playlist
tem certeza que deseja deletar esta playlist? sim não

Momentos

Playlists Relacionadas

Ver mais playlists →

O melhor de 3 artistas combinados